CONHEÇA MAIS SOBRE  

"Performance de Defesa"

Sobre o trabalho

Imagem
.

Para fazer a defesa de sua dissertação de mestrado: Aniversário como Performance: arte festival, ritual de passagem e (auto)biografia cênica no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UNIRIO,  o artista pesquisador Davi Giordano realizou uma performance ao fazer todo o seu discurso dentro de uma grande caixa de presente apenas com a cabeça do lado de fora..

Veja algumas fotos da performance!

Leia mais sobre...

Artista contemporânea transforma a sua Defesa de Dissertação de Mestrado em uma Performance Artística 

Imagem
João da Silva

AUTOR

Davi Giordano

Depoimento sobre a experiência
No dia nove de setembro de dois mil e quinze, realizei a defesa desta dissertação para a concessão do grau de mestre. Decidi transformá-la numa performance de defesa misturada com rito festivo, em que celebrei meu ritual de passagem para me tornar mestre, comemorando a conclusão e o aniversário de dois anos do mestrado. Uma hora antes da realização da banca, transformei a sala audiovisual do Centro de Letras e Artes da UNIRIO, onde se realizou a defesa, numa exposição com material de documentação de fotos e vídeos das festas realizadas ao longo da pesquisa. A sala ficou decorada como um ambiente festivo: cartazes com depoimentos e fotos dos aniversariantes no espaço da entrada, caixas de presente em volta da mesa enfeitada de papel crepom, balões vermelhos de gás hélio espalhados por todo o ambiente, projeções de fotos e vídeos; tudo criava um clima de instalação performática. A maioria dos objetos e adereços era de cor vermelha, escolhida por mim para sinalizar o forte impacto de transição que este momento representava para minha vida.

Tanto o público quanto a banca examinadora, composta pelas professoras doutoras Gabriela Lírio Gurgel (UFRJ) e Rosyane Trotta (UNIRIO), estiveram presentes e puderam contemplar o material de registro e documentação como forma de preparação para o ritual de defesa que se daria logo adiante. Antes do início da defesa, deixei a sala de exposição e fui me preparar para a surpresa que não havia sido contada nem para o público nem para a banca. Este segredo havia sido combinado e era de conhecimento apenas meu e de minha orientadora. A sessão pública foi iniciada por minha orientadora sem que eu estivesse presente. Ao sinalizar o início da minha fala, três amigos entraram empurrando uma grande caixa de presente envolvida com papel vermelho brilhante. A caixa foi posicionada ao lado esquerdo, em relação à mesa da banca, e ao lado direito, em relação ao olhar do público presente. Estando dentro da caixa, eu não tive nenhuma visão da reação das pessoas presentes na sala, apenas pude escutar os risos e pequenas falas de estranhamento em relação ao que estava acontecendo. Ainda dentro da caixa, iniciei um canto de “parabéns” no megafone que estava comigo. O canto alternou entre ritmo lento e acelerado, assim como variação tonal e melódica. O público e a banca entravam em contato com um canto estranho que durou dois minutos. Logo ao fim da terceira repetição da conhecida letra “parabéns para você”, peguei uma tesoura e cortei um círculo na parte de cima da caixa, permitindo que a minha cabeça ficasse exposta. Realizei todo o discurso de defesa desta forma: dentro da caixa, apenas com a cabeça do lado de fora. Ao terminar, saí da caixa e todos me viram vestido com a mesma roupa de zebra que usei no meu aniversário de vinte e cinco anos, momento de primeira experimentação festiva da pesquisa

Sentei-me à mesa em que estavam um bolo de comemoração de aniversário de dois anos de mestrado e a minha versão impressa da dissertação embrulhada num papel de presente. Foi dessa forma que ouvi a banca e fiz minhas argumentações. Ao final, houve a leitura da ata de avaliação, que destacou a qualidade da escrita e da estrutura do trabalho, a boa articulação do referencial teórico com a pesquisa artística e, por último, a originalidade da dissertação. O trabalho também foi indicado para publicação. 

Após a leitura da ata, acendemos as velas do bolo e todos juntos cantamos "Parabéns". Eu, minha orientadora e as duas professoras avaliadoras apagamos as velas e projetamos cada um o seu desejo para o futuro. Em seguida, cada pessoa do público pegou um balão de gás hélio e, juntos, descemos todos para o jardim do espaço aberto da Universidade para soltar os balões em direção ao céu, projetando nossos respectivos desejos.

Dessa forma, a realização de toda essa performance de defesa se processou de um modo íntimo e direto em relação ao tema da dissertação e foi, de certo modo, uma conclusão efetiva da experiência para encerrar o meu rito de passagem, tornando-me assim mestre.




João da Silva
Conheça mais sobre a dissertação
Aniversário como Performance
A série foi criada como uma pesquisa artística que Davi Giordano realizou em seu Mestrado na linha de Estudos da Performance (UNIRIO), sob orientação de Tania Alice.

O trabalhou desenvolveu uma pesquisa em arte teórico-prática sobre processos de criação para encenações performáticas de festas de aniversário. O projeto teve como objetivo investigar a transformação de festas de aniversários em happenings teatrais e performáticos, ao entrelaçar a investigação de três conceitos-chave: arte festiva, que permite uma hibridização entre as dimensões de festa e de arte; ritual de passagem, que trata de pensar aquilo que se deseja fechar como ciclo para uma nova etapa de vida, ou seja, rememorar os acontecimentos marcantes dos anos anteriores e performar os desejos para as futuras etapas; (auto)biografia cênica, que experimenta nas festas de aniversário uma linha específica de criação de discurso autorreferencial

A partir de um contexto criativo, os aniversariantes trabalham artisticamente sobre as suas potencialidades pessoais como extensões cartográficas e subjetivas em relação aos seus convidados. A potencialidade de tais experimentos se desdobra como uma linhagem de arte relacional, que coloca em jogo a capacidade de participação e interação, provocando, assim, o encontro, a experiência e a troca, e cria novas formas de se pensar os aniversários no contexto da arte contemporânea.
Leia em pdf a dissertação de mestrado de Davi Giordano

FALE COM O DAVI

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna.

João da Silva

Criador do Marketing Digital 101

Feito com
Klickpages