CONHEÇA MAIS SOBRE A PERFORMANCE 

"DESLOCAMENTO DE SUSPENSÃO

Imagem

LEIA MAIS SOBRE...

Deslocamento de suspensão Experimento Urbano #1


Concepção e realização Davi Giordano e Marcelo Asth


Descrição da obra

Dois performers, trajados como seres extraordinários (com figurinos zebrados e máscaras de macaco e de extraterrestre) realizam ações cotidianas num espaço público usual - porém, suspendendo e deslocando o sentido desta interação através de um estranhamento gerado pelo exotismo da situação. A proposta é criar dispositivos de interação com os transeuntes, convidados a participar do seu espaço comum e cotidiano de outras maneiras, através de novas formas de relação.

Os corpos transfigurais estimulam o devir animal, o devir passagem e o devir cidade, como corpos em trânsito que buscam despadronizar os hábitos e olhares tidos como comuns e ativar curtos circuitos por onde passam. Este experimento de deslocamento e suspensão foi realizado originalmente nas praias de Santa Monica e Venice Beach, em Los Angeles (California), em setembro de 2013. Posteriormente a performance teve a sua segunda variação (Experimento Urbano#2), dentro do projeto de ocupação Armando no Gonzaga do Instituto do Ator, projeto financiado pela Secretaria de Cultura da Cidade do Rio de Janeiro.

Veja mais sobre...

Imagem
Nessa segunda variação, os performers fizeram sua deriva pelas ruas do bairro de Marechal Hermes – bairro periférico, localizado na zona norte do Rio de Janeiro. Motivados a explorar espaços da cidade, os seres extraordinários por lá interagiram com os elementos e habitantes próprios daquele espaço, como: com famílias - através de janelas, no ambiente privado das casas; em danças, jogo de peteca, bola e abraços com moradores de rua – em verdadeiros momentos de liberdade e poesia, com a música clássica que acompanhava a performance –; no estender de uma grande toalha quadriculada numa calçada, para um piquenique em frente a um bar ou em uma praça; no encontro com crianças, com peteca e corda para pular; ao visitar o comércio local; ao entrar num salão de cabelereiras, que convidavam com efusividade; ao sentar num ponto de ônibus ou num ponto de taxi e estabelecer contato com trabalhadores do local; ao sambar num bar com um grupo de samba ao vivo; etc.

A performance, enquanto deslocamento de suspensão, pode ser pensada como trânsito no espaço urbano, na descoberta de lugares de uma cidade, através de um estranhamento não só dos performers com tudo o que se apresenta como novo, mas das pessoas que se relacionam com os seres extraordinários: uma relação percebida como extraterrestre, estrangeira e inédita por ambas as partes.


Imagem

EVOCAÇÕES PERFORMÁTICAS

Livro Evocações da Arte Performática (2010-2013)




O trabalho "Deslocamento de Suspensão" foi escolhido como uma das performances que compõe parte do livro Evocações da Arte Performática (2010-2013),  organizado por Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey e publicado pela Paco Editorial. 
.

VEJA MAIS SOBRE O LIVRO

Sinopse:

Evocações da Arte Performática (2010-2013) é uma publicação trienal de performances ocorridas nos países onde a língua portuguesa é oficial (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Macau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste). Este trabalho é inspirado tanto nas primeiras edições da revista de arte performática High Performance (1978-1997) como na catalogação anual Emergency Index, sendo ambas publicações feitas em língua inglesa. 


 
Sumário:

Evocacoes da Arte Performatica (2010-2013); “Agora e a nossa vez”; Aqui nasce um artista; Passagem; Punto social temporal; Amok; A nossa casa; Carne; Cabeça: Iam your father; Mulher sobre torno; Anderconstruction; Jardim permanente; Passificadora; Tratados do corpo escavado – paisagem espinhal; Não conheço nenhuma razão para amar senão amar; Acorda!; Sem altar; A espera (sem crase e sem objeto direto); Entre porcos e Pelúcias; A herança do silêncio; Sem título; Desenho do som das coisas | #000 | uma misturada de Máquinas; Crise no amor; Uma escultura é uma escultura é uma escultura; O silêncio; Berenice fala Clarice; O ovo e a galinha; Devrido_bemvidro_ brindro; Do que fomos, ainda somos empoeirados de vestígios; Ilhas, linhas, palavras... Germens; Comi o pônei que Regininha me deu; Flores para Santa Maria; A dona do fusca laranja; Pois!; Diamantina em performance: minha vida de menina; Do que não foi dito #2; Alegoria chaparral; Agudás; Kass; Máquina de dar certo – intervenções urbanas; Escute o silêncio; Aliança; Eu sou casa. 
 


Características

ISBN: 9788546202539
Autor: Paulo Aureliano da Mata; Tales Frey (Orgs.)
Editora: Paco Editorial
Edição: 1ª Edição
Área: Artes
Idioma: Português
Ano de Publicação: 2016
Número de Páginas: 484
Acabamento: Brochura
Formato: 14x21cm



FALE COM O DAVI

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna.

João da Silva

Criador do Marketing Digital 101

Feito com
Klickpages